quarta-feira, 28 de novembro de 2012

(62) Dossiê Chupeta 28/11/2012




E mais um ano, a velha história de dar a chupeta para o Papai Noel em troca de um presente se repete... às vezes ela diz que vai dar a chupeta, outras vezes diz que não...
Então, na dúvida, achei melhor  tentar fazer isso sem intercessão do bom velhinho, assim ela não pega bronca dele.

Sim, hoje completa dois dias que tento tirar a chupeta da Aline...

Anteontem, ela dormiu e não se lembrou de pedir e eu por minha vez também "esqueci" de oferecer...

Ontem durante o dia todo ela se lembrou poucas vezes, e eu apenas disse que havia procurado, mas que não havia encontrado, e além do dia todo, à noite ela ficou mais uma vez sem seu objeto favorito.

Hoje pela manhã, ela nem perguntou dela, eu estava tensa, pois ela tem duas uma branca e outra rosa, a branca eu realmente sabia onde estava e eu a escondi, mas a rosa, só Deus saberia onde encontrá-la. E meu medo maior, era que a Aline a encontrasse antes de mim.

Enfim, a crise de abstinência estava deixando essa criança totalmente fora de si.
Ela corria gritando e rindo, parecia uma mini-bruxinha... louca, louca... pulava no sofá e se jogava em mim, me abraçava e beijava desesperadamente... gritava... sim, gritava muito... parecia ter 20 crianças nesta casa que só tem duas.

Pra distrair ainda mais, resolvi que faríamos os cartões de natal das avós...

Precisei apenas do guache e da boa vontade dos dois. Ela não queria, mas ao ver o irmão dizer "gotoso" enquanto eu espalhava a tinta sob seu pé, ela decidiu que também queria fazer.
Foi uma brincadeira ótima, e ficou bem legal. Em tudo foi usado as mãozinhas, pezinhos e dedinhos deles, inclusive para escrever, usei o dedinho indicador como minha caneta tinteiro.

O resultado final foi este:

A estrela são as pontas dos dedinhos;
A árvore são os pés;
O tronco são os dedos das mãos;
O vaso é a mãozinha fechada;
As bolas coloridas são com as pontas dos dedinhos;
E a escrita, com o indicador.

Eles adoraram fazer esta "arte".
Decidi colocar os cartões sobre minha cama para secar, e a Aline foi me ajudar, de repente ela encontra a chupeta rosa... pensei: "saco! tava indo tão bem!"
Ela pediu desesperadamente para eu lavar, mas eu decidi ferver, pois não sabia há quanto tempo ela estava alí.
Fervi, e dei pra ela...
Ela passou a tarde toda com a chupeta na boca... tomamos banho e fomos ao pediatra. No caminho ela dormiu e a chupeta caiu, esperei que o Bruno também dormisse, e assim que isso aconteceu eu peguei essa chupeta e a escondi na bolsa.
Quando ela acordou nem se lembrou de pedir.

Fizemos tudo o que precisava ser feito e ao retornar para casa ela se lembrou e pediu a chupeta.
Eu disse que estava escuro e que não dava pra procurar, mas o Bruno, todo preocupado com a irmã disse:
- "pai, apaga a luz pa puculá a chupeta da Nine" (*ele quis dizer acende)

Dissemos que naquela hora não dava... e ela voltou a esquecer...
Subimos, trocamos, demos mamadeira, escovamos os dentinhos e foram se deitar. Rezamos e então ela perguntou: "cadê a chupeta?" e chorou... o pai, mais do que depressa disse: -"abraça sua filha com muita força e dorme, vc não precisa mais da chupeta". E assim ela o fez...

Será que este será o começo do fim??? Tomara!! Já se vão 2 anos e 10 meses com ela...







0 comentários:

Postar um comentário

Facebook