quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

(14) O melhor banho do mundo...

A hora do banho é uma das mais divertidas.

Eles brincam, cantam, dançam, resmungam quando a água com shampoo escorre nos olhinhos...

Hoje como sempre, teve aquela pergunta básica:

- QUEM  QUER TOMAR BANHO PRIMEIRO LEVANTA A MÃO !!!

* Os dois levantam e a Aline ainda fala: eeeeeuuuuuuuu...

Pois bem, peguei a Aline,  tirei seu vestidinho, sua calcinha e fomos ao banheiro, liguei o chuveiro pra água ir esquentando (apesar do calor que está fazendo hoje, o primeiro jato d'água sempre sai gelado), e enquanto esquentava eu ia tirando a fraldinha dela.
Segurei suas mini mãozinhas e a conduzi até o tapete antiderrapante em formato de peixe, lá ela já começa a cantar:

- chuveio, chuveio... (mas não sai disso), o resto vcs conhecem : "não faz assim comigo, chuveiro, chuveiro, não molhe o seu amigo"...rs... época do Bozo...

Quando ela percebe que não sai disso, então ela muda a música:
- "deicia, deicia, assim mata, si ti pego"...rs... (a música é péssima sim, mas com ela cantando fica linda...rs...)

Termino o banho e de dentro do box ela chama pelo papai, que já vem com o Bruninho só de fralda e com a toalha dela em mãos. Entrego ela à ele (ele a seca e coloca o pijaminha), e já pego o Bruno pela mão.

Ele como ainda não fala, então eu canto e ele dança, fica rebolando aquela bunda branca que mais parece dois pãezinhos grudados.

Depois de tudo limpo, pego ele em meu colo e lavo os pézinhos, e então ele me abraça e deita sua cabeça em meu ombro.
Ahhhh... naquele momento eu o abracei, como quem abraça o mundo, fiquei sentindo seu coraçãozinho bater, e sentia também que com as mãozinhas ele fazia carinho em minhas costas... que delícia... foi um momento de troca de amor e carinho, parei de cantar e fiquei abraçada à ele,  ficamos alí, parados, sentindo a água do chuveiro cair sobre nós.
 Naquele instante eu queria que o mundo parasse e que nunca mais precisássemos sair dalí.
 Sentí o abraço, o carinho, o amor mais puro e sincero do mundo...
 Ficamos quietinhos por alguns minutos...

 Depois chamamos o papai (que iria  secá-lo e colocar o pijaminha).

Existem momentos em que o coração implora pra que sejam inesquecíveis... mas momentos como este, não precisa sequer que o coração nos peça, a própria alma já se incumbe de eternizar...

... meus filhos amados...

0 comentários:

Postar um comentário

Facebook